16/04/2019

Arroz doce dos casamentos

É tradição em algumas aldeias de Coimbra, duas semanas antes do casamento, os noivos irem de casa em casa entregar uma travessa ou prato de arroz doce. Depois, normalmente qquando a travessa é devolvida, vem acompanhada de uma lembrança para os noivos. Como é fácil de imaginar, o tamanho do tacho para fazer tal quantidade de arroz doce é monumental e a quantidade de travessas e pratos proporcional à dimensão da aldeia. Este arroz doce é  feito por mãos experientes que já mexeram muitos e muitos quilos de arroz e leite e têm certamente segredos que não contam a ninguém. São senhoras "antigas" que nem precisam de receita porque as quantidades estão escritas nas pontas dos dedos. Este arroz doce fica duro, quase de cortar à fatia como a aletria, bem diferente do que faço habitualmente. Feito com leite fresco vindo diretamente da vacaria por isso com uma textura tão característica.
Confesso que a primeira vez que vi uma travessa deste arroz doce, olhei e pensei de imediato que não iria gostar. Pois... enganei-me! Gostei e muito. Gostei tanto que resolvi deixar a receita aqui, que é o meu livro de receitas sempre à distância de um clique. Além disso, gostei imenso desta tradição! Vocês já conheciam?

 Ingredientes:
330 g de arroz carolino
330 g de açúcar
1 l de água
1 l de leite do dia Gordo (ou se conseguir leite fresco como pede a receita tradicional)
casca de 1 limão
1 pau de canela
sal q.b.

Num tacho, deite a água temperada com sal e o pau de canela. Junte o arroz e deixe cozer até absorver a água quase na totalidade.
Enquanto o arroz coze, deite o leite com a casca de limão numa outra panela e aqueça o leite.
Quando o arroz estiver cozido, junte o leite por 3 vezes, mexendo e deixando absorver o leite entre cada adição.
Quando adicionar a última parte de leite, junte também o açúcar e mexa. Deixe absorver o leite e distribua o arroz doce pelas travessas. Retire o pau de canela e alguma casca de limão que possa ter ido junto com o leite.
Depois de frio, enfeite com canela em pó e distribua pelos vizinhos ♥


25/02/2019

Como organizo as refeições da semana

A marmita chegou e instalou-se confortavelmente nas nossas rotinas. Quem trabalha, tem filhos e outras atividades para conciliar nas 16-18 horas que passamos acordados, precisa de alguma organização para manter a sanidade mental. Planear as refeições é essencial para ter uma alimentação mais saudável e evitar desperdícios. Basta pesquisar pela hashtag #mealprep para ver inúmeras fotografias inspiradoras de refeições preparadas em casa. 

21/02/2019

Peito de frango recheado com cogumelos, bacon e pesto de tomate seco

Gosto de saborear a tranquilidade do sábado e do domingo, principalmente quando vamos para a aldeia. Gosto de "perder" tempo a ouvir os pássaros a chilrear, a ver as flores que abriram de uma semana para a outra, de calçar as botas, ir à quinta e apreciar as cores com que esta se pinta à medida que o sol se põe. 
Das enormes árvores que eu tenho memória da minha infância, só resta a velha tileira. Resistiu ao fogo como um gigante e ali continua, firme, de pé. Daqui a uns anos, a quinta voltará a ter a beleza de outros tempos. Até lá, vamos vendo as oliveiras a crescer devagarinho, para um dia, quem sabe, pôr umas cordas para um baloiço para a Maria, como eu tinha quando era pequena. 

18/02/2019

Tarte de maça [low carb]





Não há nada mais aconchegante que o forno ligado numa tarde fria, uma chávena de chá a fumegar e a mesa posta com flores. Adoro o cheiro das flores das mimosas apesar de ouvir desde pequena que não se devem ter em casa porque fazem dores de cabeça. Talvez seja verdade pois têm um cheiro intenso mas seria necessário ter uma enorme quantidade para esse efeito. Esquecendo isso, não resisti a trazê-las comigo, ficam lindas na jarra! 

13/02/2019

Muffins de brócolos e tomate seco low carb

Verdes? Muffins verdes?? Nem pensar!!
Pois é... foi a reação do resto da malta cá de casa a estes pequenos...
Não concordo nada porque acho que ficaram bem bons. Estes muffins saíram num domingo, ao mesmo tempo em que estava a arranjar os legumes que tinha trazido da aldeia. Foram uma experiência, é certo, mas achei-os tão bonitinhos que não resisti a fotografá-los.
É ao domingo que preparo/adianto os jantares, lanches e marmitas da semana. Desde que me lembro que as marmitas fazem parte da minha vida.
Quando era pequena, ainda na pré escola, levava uma ceirinha com o almoço num termo.

05/02/2019

Compota de tamarilho

O tempo passado na aldeia tem sido cada vez maior e nem sempre é fácil conciliar as atividades dos miúdos. É que nem estamos a cem por cento na cidade nem a cem por cento no campo. Há quem perceba mas também há quem não queira perceber e simplesmente dificultar. A vida não é como nós queremos e se por um lado abraçámos Coimbra como nossa, as raízes continuam na aldeia perto do frio da Serra.

18/01/2019

Chanfana de galo capão

2019 promete ser um ano cheio de desafios, um deles, se não o maior, vai ser o da organização. Organização a todos os níveis mas principalmente em relação ao tempo e à gestão do mesmo, porque não somos de ficar quietos nem de dizer não aos desafios que a vida nos traz e vemo-nos com os dias cada vez mais cheios.
Posts relacionados Plugin for WordPress, Blogger...
blog design by WE BLOG YOU