27/04/2020

Pavlova com lemon curd


Esta ausência não foi por nós pedida,
este silêncio não é da nossa lavra,
já nem Pessoa conversa com Pessoa,
com o feitiço sempre imenso da palavra
Este tempo só é o nosso tempo
porque é nossa a dor que nos sufoca
e faz de cada dia a ferida entreaberta
do assombro que esquivando-se nos toca
Esta ausência é dos netos, dos filhos, dos avós,
é a casa alquebrada pelo medo,
é a febre a arder na nossa voz
por saber que o mal a magoa em segredo
Este silêncio é um sussurro tão antigo
que mata como a peste já matava;
vem de longe sem nada ter de amigo
com a mesma angústia que nos castigava
Esta ausência é uma pátria revoltada
que se fecha em casa sempre à espera
que a febre não a vença nem lhe roube
a luz mansa que lhe traz a Primavera
Esta casa somos nós de sentinela,
à espera que a rua de novo nos console
e que festeje debruçada à janela
a alegria que só nasce com o sol
Esta ausência mais tarde há-de ter fim,
por nada lhe faltar nem inocência;
que se escute o desejo de saúde
anunciando que vai pôr fim à inclemência
Que se abram as portas e as janelas,
que o medo, derrotado, parta sem destino
por ser esse o sonho colorido
que ilumina o riso de um menino."


|José Jorge Letria , 20 de Março de 2020

Ingredientes:
(receita de Zoe François)

Pavlova
150 g de claras de ovos bem frescos
1 pitada de sal fino
1/8 de c. de chá de cremor tártaro
1/4 cup de água fria
250 g de açúcar super fino*
1 c. chá de vinagre
1 c. de sopa + 1 c. de chá de amido de milho
1 c. chá de extrato de baunilha

* Triturado no processador

Desenhar um círculo de 15/16 cm de diâmetro numa folha de papel vegetal e forrar um tabuleiro de ir ao forno com a folha (com o risco da caneta voltado para baixo).
Ligar o forno a 130ºC.
Deitar as claras, o sal e o cremor tártaro na taça da batedeira e começar a bater em velocidade média, até as claras fazerem picos médios (para testar, retirar o acessório batedor e verificar se as claras ficam ligeiramente em pé quando o viramos ao contrário).
Juntar a água, muito devagar, sem parar de bater.
Adicionar o açúcar, lentamente, sem parar de bater, até o merengue ficar firme. Pode fazer o teste retirando novamente o acessório batedor e verificando se os picos de merengue já se mantêm firmes.
Retirar o copo da batedeira e juntar a essência de baunilha, o vinagre e o amido de milho, passado por um coador para distribuir mais uniformemente.
Envolver cuidadosamente com a espátula e deitar no papel vegetal, formando um circulo. Alisar a superfície e com a ajuda de uma espátula, colher ou faca, fazer efeitos na superfície. No topo, formar um pequeno orifício como uma cratera de um vulcão, para depois colocar o recheio.
Levar ao forno durante 1h e após este tempo baixar a temperatura para 120ºC, por mais 40 minutos.
Deixar arrefecer no forno.

Lemon curd
100 ml de sumo de limão
raspa de meio limão (se for pequeno, juntar a raspa toda)
50 g de manteiga derretida
150 g de açúcar
2 ovos

Juntar tudo no robot de cozinha e programar 8 minutos, temperatura 80ºC, velocidade média. Colocar num frasco esterilizado e guardar no frigorífico.
Se não tiver robot de cozinha, pode levar os ovos com o açúcar e o sumo de limão ao lume médio, mexendo sempre até engrossar (aproximadamente 10 minutos).
Retirar do lume e juntar a raspa de limão e a manteiga.

Montagem:
Transferir a pavlova para um prato de servir e rechear com natas batidas com duas colheres de sopa de açúcar fino.
Por cima fazer uma camada de lemon curd e enfeitar com fruta a gosto.

Posts relacionados Plugin for WordPress, Blogger...
blog design by WE BLOG YOU